...

...

sábado, 28 de fevereiro de 2009

Decepções

O tempo passou,
a menina cresceu,
e em plena adolescência descobre -se em crise com o mundo.
Um turbilhão de novas sensações
lhe toma o corpo e a alma
indecisa sobre muitas coisas
revê seu passado um tanto confuso
Descobre um sentimento novo
depara-se com mil barreiras
num novo mundo de mentiras e trapaças.
Lágrimas novas lhe correm pela face.
Sente que esse sentimento lhe machuca e faz sofrer.
Passa noites em claro
dias angustiantes e longos
escreve tudo,
pois seu único confidente é um velho caderno
já de paginas amareladas.
Momentos de alegria , são poucos
e não lhe bastam para mudar sua história.
Aquela pessoa que tanto ela ama, lhe quer fugir
deixá-la sozinha.
Todo aquele sentimento que ela entrega à ele
foi em vão.
Chora , sem medo das lágrimas.
Grita para o mundo, porque o vento , a chuva , a noite
são as únicas companhias leais.
Sente que uma nova vida cresce em suas entranhas.
Talvez um motivo maior para viver.
Agora já transformada em mulher,
sente que as coisas da vida são muito ingratas.
Vê-se diante de muitas pessoas e sozinha dentro de si.
Arrependida de doar-se por inteira a um sentimento
tão injusto e cruel.
Quão grande é sua mágoa que nunca mais será a mesma.
Mesmo mil perdões lhe farão perdoar, mesmo mil lágrimas não
lhe farão amolecer
E nunca mais nas encruzilhadas da vida , terá coragem de entregar-se
novamente de corpo e alma ao ingrato e obscuro amor...

(nanny)

2 comentários:

Deia Roos disse...

"Olha para trás, para toda a jornada:
os cumes, as montanhas, o longo
caminho sinuoso através das florestas,
através dos povoados, e vê à sua frente
um oceano tão vasto que entrar nele nada mais
é do que desaparecer para sempre.

Mas não há outra maneira.
O rio não pode voltar.
Ninguém pode voltar.
Voltar é impossível na existência.
Você pode apenas ir em frente.

O rio precisa se arriscar e entrar no oceano.
E somente quando ele entra no oceano é que
o medo desaparece, porque apenas então o rio saberá
que não se trata de desaparecer no oceano.
Mas tornar-se oceano.

Por um lado é desaparecimento e
por outro lado é renascimento.

Assim somos nós.
Voltar é impossível na existência.
Você pode ir em frente e se arriscar..
Coragem!

Torne-se OCEANO!"
OSHO
Com carinho
Deia

Herege disse...

Tão intenso quanto uma manifestação da natureza!